Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Início » Lycopodium clavatum

Lycopodium clavatum

Casali

Lycopodium clavatum

Autores: V. W.D.Casali, F. M.C.Andrade, E. S.M.Duarte

Livro:  Acologia de Altas Diluições

A preparação básica é feita com a plantinha “licopódio” ou “pé de lobo”, família Lycopodiaceae. A espécie é nativa das montanhas e das florestas do hemisfério norte. Há 300 milhões de anos foram árvores imensas com raízes fortes. Foram perdendo sua grandiosidade progressivamente. Os árabes usavam no tratamento de distúrbios estomacais e urinários. Lycopodium resgata a potencialidade perdida com o passar dos anos.

Alguns Compostos Bioativos:
Lycopodine, Clavatine.

Palavra chave:
Insegurança, debilidade funcional. Distúrbios hepáticos nos animais. Germinação de esporos em plantas. Físicoquímica da água.

Tropismo Homeopático:
Fígado, vias gastrintestinais/urinárias, faringe, amídalas. Metabolismo.

Patogenesia
Sinais Funcionais:
Distúrbios do metabolismo, em geral. Assimilação e catabolismo deficientes por insuficiência hepática. Atonia gastrintestinal e flatulência. Pele seca, fraqueza física (porém com vitalidade).
Tendência a:
1) pedra nos rins e vesícula, desnutrição, uremia, uricemia,
2) erupções na pele,
3) inflamações na faringe atingindo o pulmão, os brônquios e as narinas,
4) fraqueza genital e impotência,
5) uricemia, nervosismo irritável,
6) perder a autoconfiança e a vontade no passar dos anos.

Sinais de Exaltação
Sensações:
Narinas obstruídas, plenitude estomacal, tensão no fígado, queimação entre os ombros, buraco no estômago, fermentação no lado esquerdo do estômago, secura nas narinas, pé quente mas mão fria, mão quente porém pé frio, apreensividade na boca do estômago, assustado ao despertar, ficar fora de si rapidamente com a mínima contrariedade, cercado de fantasmas.

Sinais Mentais:
Sensibilidade e angústia mental. Memória fraca. Indecisão. Quando pessoas se aproximam fica angustiado. Mentalmente briga com pessoas distantes. Confusão e insegurança, não suporta a menor contradição. Interpreta de forma inadequada os fatos. Tem imagem mental de sua capacidade e de sua coragem. Pensa que não tem competência mas pensa que é superior. Intelecto aguçado. Pensamentos ansiosos. Depressão mental.

Sinais Comportamentais:
Comporta-se como: adulador, arrogante, dominador, autoritário, covarde, avarento, brigão, furioso (até consigo próprio), líder, ditador, rude (em casa), distraído, esforçado, intolerante, promíscuo, crítico, teimoso, egoísta, caprichoso, meigo, desconfiado, diferente do grupo, competidor, irritadiço, sensual, amoroso, malicioso, cético, tímido, sem autoconfiança, orgulhoso, ansioso, consolador, compassivo, sofredor por antecipação. Desejo de companhia ou de estar sozinho, troca palavras e sílabas, imobilidade de realizar tarefas, desejo de liderança, não tolera ser consolado, ansioso ao despertar ou ao anoitecer. Irritável pela manhã. Dúvidas a respeito da própria salvação. Gosta de ser adulado e bajulado. Ri após estar ansioso. Retorce a boca e a face ao explicar. Desejo de bebida quente.

Sinais Emocionais:
Instabilidade. Chora pelas mínimas emoções. Sente-se infeliz e deprimido. Mortificação do passado, chora e grita por coisas do passado. Humor ruim. Assustadiço. Sorri sem estar alegre.

Sinais Subconscientes:
Medos: insucesso, escuro, males futuros, homem, solidão, ir dormir, pessoas novas, aparecer em público, doenças, novidades, empreender projetos novos.

Sinais Gerais:
Sonhos com acidentes horríveis. Pele amarelada. Musculatura fraca. Queda de cabelo. Sulcos na testa. Fome excessiva. Arrotos ardentes. Abdome distendido. Fígado sensível. Gases. Fezes duras. Hemorroidas. Faz força antes da micção acontecer. Transpiração viscosa e desagradável. Hipertrofia da próstata. Impotência. Dormência nas extremidades. Pele seca (principalmente na palma da mão).

Sinais Físicos:
Dor de cabeça por fome. Dificuldade na audição (com ruídos e ecos). Alas nasais com movimentos. Bolhas na língua. Feridas nas amídalas (começando pela esquerda). Ulceração nas cordas vocais. Sedimento vermelho na urina. Tosse. Dor no calcanhar. Cólica renal. Constipação. Dor de dente só à noite. Flatulência excessiva. Hipoatividade das glândulas. Pouca força muscular, fraqueza geral. Debilidade. Não gosta do contato da roupa com o corpo (fica melhor com roupa mais larga).

Patogenesia no vegetal:
190CH Inibe a germinação de esporos (Pestalotia mangifere, no fruto de manga).

Patogenesia na Água:
5CH – Aumenta a condutividade elétrica, o pH e a turbidez da água destilada. Diminui a temperatura da água destilada

Generalidades
Agrava:
Com roupa apertada, alimentação em excesso (ou estando em jejum), local abafado, entre 16 e 2 h e entre 4 e 8 h, na primavera, na cama.
Melhora:
Com movimentação, ar fresco, à noite.

Lateralidade:
Direita.


Perfil (Criança):
São magras, chorosas, de abdome distendido, tímidas, irritáveis, indiferentes na afetividade. Tem intestino com tendência a constipar, assim como narinas a obstruir. Tem catarro, infecção urinária, sedimentos na urina, pele amarelada, testa franzida. Gosta de: dar ordens, estudar, vencer, ter sucesso, resgatar espaço, afirmação social e intelectual. Necessita de: doces, demonstração de competência, posse dos controles. Teme: fracasso, escuridão, perder liderança, ser conquistada, ser consolada, perder nas competições, ter que mudar, ser inferior. Fragilidades – fígado, rins.

Indicações
Quadros Comuns:
A) Sistema Digestório (5 a 12CH) Insuficiência hepática, tendência a má digestão, plenitude gástrica após refeições, indisposição entre 16 e 18 h (fraqueza do figado e dispepsia agravam entre 16-18 h), frialdade intestinal, dilatação abdominal. Digestão agrava com ovos e alimentos amiláceos. Apetite irregular, eructações após refeições, não tolera cinto após refeições, gases intestinais sem cheiro e não aliviam. Prisão de ventre, pele seca (principalmente na palma das mãos), suor com péssimo cheiro nos pés, friagem nos pés. Secura e obstrução das narinas, sonolência após refeições, insônia entre 2 e 5 h, vontade ineficaz de defecar. Fezes: primeiras rígidas, depois moles. Cefaleia quando demora a se alimentar. Erupções escamosas, cirrose do fígado.
B) Litíase (6CH) – Distúrbios do metabolismo com insuficiência hepática e renal. Urina clara com sedimento avermelhado (criança chora ao urinar). Cólica hepática. Vontade ineficaz de urinar. Dor de cabeça e dores lombares.
C) Uricemia (6 a 12CH) – Distúrbios do metabolismo com insuficiência hepática e renal. Baixa vitalidade. Magreza, secura da pele/mucosa. Areia vermelha na urina.
1) Cefaleia, dores nas articulações,
2) Perda de mobilidade dos cotovelos e pulso, da raque cervical ou lombar,
3) Dentes amarelos, fraqueza sexual. É possível surgir: ciática direita, cãibra na panturrilha, gota crônica.
D) Angina (5 ou 6CH) – Angina começando à direita e irradiando até a esquerda. Principalmente com secura e vermelhão da língua ou da faringe. Tendência à dor e ulcerações. Com humor desagradável e necessidade de ar fresco.
E) Sistema Respiratório (6 ou 6CH) – Inflamação pulmonar com abatimento físico, dispneia, agravação entre 16 e 20 h, dor no peito (lado direito), catarro amarelo-esverdeado salgado, tosse seca, com distúrbios hepáticos.
F) Febre (5 ou 6CH) – Pior entre 16 e 20 h, estado geral é afetado rapidamente, olhos vidrados. Língua: tremor, seca, vermelha, dolorosa. Calafrios, murmúrio, retenção ou incontinência urinária.
G) Depressão (12 a 30CH) – Perda de entusiasmo, perda de autoconfiança, medo de solidão, irritabilidade, intolerância, perda de vigor sexual. Inverte letras ao escrever, fadiga física, dispepsia, flatulência, choro, incontinência urinária.

Quadros Diversos:
Idosos com distúrbios hepáticos, senilidade precoce, impotência precoce, falta de confiança dos recém-casados (12 a 30CH). Constipação crônica. Varizes das pessoas com distúrbios hepáticos (principalmente na perna direita) (5 ou 6CH). Pneumonia (lado direito) em pessoas com fraqueza hepática (5 ou 6CH). Quadros acompanhados de: flatulência intestinal, areia avermelhada na urina e agravação entre 16 e 20 h. Dispepsia ácida de pessoas que se satisfazem com poucos alimentos. Dor do coração, prisão de ventre, extremidades frias, abdome inchado, muito sono após jantar, intolerância por bebida fria. Fígado lento, congestões hepáticas. Cirrose hepática, icterícia, hérnia inguinal. Criança que só tolera leite materno. Aneurisma, acne, secura da vagina. Nos quadros que sintomas passam do lado direito ao esquerdo. Bronquite crônica. Pneumonia renitente/crônica. Irritabilidade biliosa (nervosa), intolerância a contradição, muita atividade mental, magreza, principalmente do meio do corpo acima, autoritarismo, pele amarelada (principalmente nas têmporas). A parte ocular e frontal da face tem aparência mais jovem que a parte maxilarbucal. Rugas na testa, queda dos cabelos, manchas amareladas nas têmporas ou abdome, artéria temporal saliente. Mente ativa em corpo fraco. Irritabilidade agrava ao acordar.

Quadros Animais:
Fezes muito brancas. Distúrbios hepáticos crônicos. Pneumonia no lado direito. Alterna fezes duras com fezes moles (não havendo verminose). Vacas com olhos amarelados. Animais idosos. 6D, 12D, 30D, 4CH, 5CH, 6CH, 30CH.
Atenção:
Pessoas inteligentes, com atividade mental constante, pouca musculatura. Pré senilidade, debilidade progressiva das funções. Atonia. Baixo calor vital. Aneurisma. Tosse noturna.

Homeopatias que Complementam:
Iodium, Lachesis.

Homeopatias que Devem Anteceder:
Calcarea carbonica, Sulphur iodatum, Graphites, Lachesis, Chelidonium.

Homeopatias Sucessoras Recomendadas:
Anacardium, Belladona, Bryonia, Carbo vegetabilis, Dulcamara, Graphites, Hyoscyamus, Kali carbonicum, Lachesis, Ledum, Nux vomica, Phosphorus, Pulsatilla, Stramonium, Sepia, Silicea, Theridion, Veratrum, Hydrastis.

Incompatibilidade:
Após Sulphur, mas pode ser antes do Sulphur e Calcarea

Antídotos:
Aconitum, Camphora, Causticum, Chamomilla, Graphites, Pulsatilla.

Duração:
40 a 50 dias.

Dinamizações:
5 a 30CH, 60 a 10.000C.

Outras Denominações:
Lycopodium, Muscus ursimus, Muscus clavatum, Muscus esquamosus vulgaris, Pesleoninus.

Proximidades:
Sulphur, Rhus tox, Urtica, Mercurius, Hepar, Alumina, Antimonium crudum, Natrum muriaticum, Bryonia, Nux vomica, Bothrops.

 

Lycopodium clavatum

Autor: Dr. S. R. Phatak 

Obra:  Matéria Médica Concisa

Generalidades:
É chamado de enxofre vegetal. Afeta a NUTRIÇÃO; DEVIDO À FRAQUEZA DA DIGESTÃO. Atua nos ÓRGÃOS URINÁRIOS e a maioria dos sintomas se desenvolve no LADO DIREITO e vai para o esquerdo; GARGANTA; tórax, ovário. As doenças se desenvolvem gradualmente; enfraquecimento do poder funcional; a função do fígado é seriamente perturbada. Doenças crônicas progressivas profundamente arraigadas. Sintomas repetidos ou sintomas alternados; calafrio após calafrio, corando e empalidecendo; flexão seguida de extensão; atos automáticos. Condições recorrentes. Prostração da mente e do corpo. É adaptado para pessoas idosas; ou que envelhecem precocemente, onde a pele apresenta manchas amareladas; ou a crianças debilitadas precoces. Os pacientes de Lycopodium são intelectualmente aguçados, mas de força muscular fraca; carece de calor vital; má circulação; parece estar parado; com frio, extremidades dormentes ou dormência podem aparecer em alguns pontos. Sintomas repentinos, dores vêm e vão de repente; ou causar raiva, espasmos etc. O paciente está magro, murcho e CHEIO DE GÁS. ACIDEZ; azedo, paladar, eructações, etc. Sintomas descendentes, resfriados, emagrecimento, etc. Cálculos; pedras de vesícula, cascalho. Hidropisia; ascite nas doenças hepáticas. Frieza; parcial, cabeça, garganta etc. Secura; das palmas das mãos, plantas dos pés, vagina, pele, etc. Aspereza; em dobras, ânus, mamilo etc. Formigamento dos membros afetados. Paralisia. Carcinoma. Inflamação dos ossos, principalmente nas extremidades; amolecimento e cárie dos ossos. Espasmos com gritos, espumando pela boca; jogando os braços. Hipersensível, à dor; paciente está fora de si. Sensação de paralisia interna. Diátese de ácido lítico. Efeitos nocivos de medo, susto, desgosto, raiva, ansiedade, febres; sobrelevantamento; masturbação; andando de carruagem. Mascar tabaco. Vinho. Um lado do corpo hipertrofiado na mudança de vida, nas mulheres. Atrofia de lactentes. Hemorragias; sangue escuro. Tumores eréteis. Furúnculos recorrentes periodicamente. Emaciação e debilidade por perda de fluidos.

Mente:
Confusão sobre assuntos diários. Mentalmente ativo, mas fica mais fraco. Melancólico; medo de ficar sozinha, dos homens; de sua própria sombra. Sensível, chora quando agradece; ou encontrar um amigo. Temível; pavor dos homens; presença de pessoas novas, de tudo, até toque de campainha. Perda de autoconfiança; da antecipação; avesso a empreender coisas novas; no entanto, quando ele o empreende, ele o faz com facilidade e conforto. DESPERTA; Nervosa triste e ansioso. Veemente; cabeça dura. Dominador, exigente; reservado ou desesperado. Soletra ou escreve palavras ou sílabas erradas. Não suporta ver nada de novo. Não é possível ler o que ele escreve. Apressado ao comer. Paralisia incipiente do cérebro. Chora o dia todo. Triste, ao ouvir música distante; ou alegre e feliz. Odioso. Rabugento. Miseravelmente. Brainfag; depois da gripe. Pensamentos ansiosos como se estivessem prestes a morrer. Indecisão. Timidez. Renúncia. Misantrófico, foge até dos filhos. Amativo. Desconfiado; detecção de avarias. Suspeito.

Cabeça:
Balança a cabeça sem causa aparente; ou involuntariamente, lento primeiro, depois rápido. Vertigem ao olhar para qualquer coisa girando. Cabeça fria. Dor nas têmporas como se estivessem parafusadas, pior menstruação. A dor começa de um lado vai para o outro onde é pior. Dor de cabeça, pior se não comer regularmente; deitado, curvado, melhor descobrindo. Dor pulsante no occipital; à noite, pior quando quente. O cabelo cai, fica grisalho cedo. Calvície prematura; após afecções abdominais; parto. Sulcos profundos na testa em afecções abdominais, pulmonares e cerebrais; e em avarentos. Caspa. Hidrocefalia. Meningite; tuberculoso. A dor de cabeça catarral piora quando a secreção nasal diminui. Latejando após cada acesso de tosse; dores ao pressionar em fezes.

Olhos:
Meio aberto. Hemiopia. Mais cegueira diurna. Faíscas diante dos olhos; no escuro. Chiqueiros nas pálpebras em direção ao canto interno. Pólipo no canto externo. Catarata; com menstruação suprimida. Sinta frio, calor, pareça muito grande.

Ouvidos:
Zumbido e rugido; com dificuldade de audição; todo ruído causa um eco peculiar no ouvido. Corrimento ofensivo amarelo espesso, com surdez. Eczema sobre e atrás das orelhas. Como se sangue quente corresse para os ouvidos.

Nariz:
Nariz entupido; funga; respira pela boca; criança começa a dormir esfregando o nariz. Movimento semelhante a um leque de alae nasi; em problemas cerebrais, pulmonares e abdominais. Sensação de secura posteriormente. Ozaena; acre. Coriza crônica; assoa o nariz com frequência. Problemas nasais desde a infância. Odor agudo.

Face:
Amarelado; pálido; cinza; com olheiras azuis ao redor dos olhos. Rosto murcho, enrugado e emaciado. Ondas de calor. Espasmos. A boca fica aberta. Lábios doloridos. Torce o rosto e a boca. Expressão boba.

Lycopodium clavatum

Autor: Rajan Sankaran

Obra: Texto baseado no livro The Soul of remedies de Rajan Sankaran. O Texto está diferente do original mas as idéias foram mantidas.

Informações gerais:
Lycopodium às vezes é chamado de “enxofre vegetal”. É um remédio vegetal

Miasma:
Pertence ao miasma psórico.

Sensação:
Há vários milhares de anos, o Lycopodium clavatum era na verdade uma árvore enorme e que, com o passar dos anos, reduziu-se a um pequeno musgo. A principal sensação em Lycopodium é que se a pessoa continuar pequena, sua sobrevivência será difícil, ela será humilhada, não chegará a lugar nenhum.

Tema:
O tema principal do Lycopodium é a ambição. Um desejo de crescer, muito esforço concentrado em tornar-se maior, ser mais poderoso, alcançar uma posição mais elevada – o degrau mais alto da escada.

Comparações:
Lycopodium faz parte do ciclo Calcarea – Lycopodium – Enxofre. Calcarea representa a necessidade humana de estabilidade e segurança, que se traduz em ter casa, família, fonte de renda, boa saúde e proteção. A estabilidade também implica falta de movimento, aventura e crescimento. A outra necessidade do humano é representada pelo Enxofre, que é a necessidade de um nome, de um ego, de uma imagem; a necessidade de ser alguém importante de ser reconhecido e de ser contado. A necessidade de se orgulhar de si mesmo, de pensar bem de si mesmo, de ter uma boa autoimagem.

Para chegar de Calcarea à Sulphur, é preciso:
· concentrar-se no crescimento, no esforço para alcançar as próprias ambições;
· no movimento – empreender coisas novas em vez de se ater ao antigo e estável;
· na atividade orientada para objetivos .
Uma ansiedade antecipatória pode surgir pela falta de auto confiança. Isso pode parecer como Silicea, mas a diferença é que em Silicea, não é se ele é realmente capaz de fazer a tarefa que o incomoda, mas sim que sua imagem deve ser protegida a todo custo. Então Silicea tem medo de subir no palco e Lycopodium tem medo de falar.

Mental/Emocional:
Lycopodium representa a fase de crescimento social e se torna o remédio de uma pessoa quando ela fica presa nisso e não consegue pensar em mais nada. A situação original da qual um estado Lycopodium pode ter surgido é provavelmente aquela de uma pessoa que sente que não tem poder. Ele fica, portanto, irritado com qualquer coisa que diga respeito à perda de poder, enquanto qualquer coisa relacionada à aquisição de poder o fará se sentir melhor. Lycopodium é muito ambicioso e pode empregar qualquer meio para alcançar o sucesso. Ele pode ditar, dominar e aceitará a ajuda de qualquer um que puder. Mas as pessoas de Lycopodium têm um grande medo, que é o medo de enfrentar novos desafios, enfrentar novas situações, conhecer novas pessoas. Todas essas situações devem ser enfrentadas se ele quiser obter sucesso e, diante dessas situações, Lycopodium carece de confiança; ele se sente incapaz. Desenvolve uma ansiedade antecipatória por causa dessa falta de confiança. No adulto Lycopodium, no entanto, essa covardia pode ser escondida por uma demonstração externa de arrogância. Isso se torna necessário para proteger seu ego. Ele pode recorrer a conversa fiada e vangloriar-se com bravatas. Isso pode eventualmente produzir um medo de ser descoberto. Um desdobramento desse egoísmo é sua atitude de censura em relação aos outros. Lycopodium não está insatisfeito com os outros, mas os critica para estabelecer sua própria superioridade. Apesar de sua consciência não permitir que ele seja excessivamente crítico, justifica sua crítica alegando estar ajudando o criticado, alertando o que está sendo feito de errado. Como se fosse do interesse do criticado receber a crítica. Lycopodium pode, portanto, ser sutil em sua crítica aos outros. A timidez e a covardia do Lycopodium são mais bem observadas em crianças que necessitam do remédio. Eles têm medo de enfrentar novas situações, conhecer novas pessoas e tentarão evitar o mesmo. Em decorrência dessa timidez, e também pela debilidade física das crianças Lycopodium, encontramos uma aversão a brincar. O adulto Lycopodium, porém, por ser muito arrogante para admitir sua falta de autoconfiança, o medo de enfrentar novas situações e conhecer novas pessoas, tentará compensar cercando-se de pessoas a quem ele pode comandar e não precisa temer. Ele cria ao seu redor um mundo no qual é todo poderoso onde os outros aceitam sua autoridade e podem ser dominados por ele. Por exemplo, ele selecionará uma mulher que é branda e pode ser facilmente dominada – uma mulher Pulsatilla, talvez. O mesmo acontecerá em seu trabalho, lazer e situação social. Sua atitude ditatorial, no entanto, está confinada à segurança de seu domínio e, quando ele sai, ainda é tímido. E assim ele raramente se aventura fora de seu domínio, ao contrário, ele busca apenas expandi-lo ainda mais e trazer mais e mais pessoas sob seu poder. Daí a rubrica: “Amor ao Poder”. Lycopodium representa, assim, uma luta constante entre a covardia e o egoísmo, entre a falta de confiança e a soberba, entre a timidez e a atitude ditatorial. Tem medo de pessoas que tem autoridade, mas é rude e desdenhoso quando está no poder. Lycopodium tem um medo tremendo de ficar sozinho, no meio de pessoas desconhecidas. Ele procura pessoas conhecidas, quer alguém com ele “mesmo que seja na sala ao lado”. Ele não pode viver sem pessoas, ele precisa delas. Isso pode fazê-lo parecer sentimental, afetuoso e simpático como Phosphorus, mas o contraste é que Lycopodium não gosta que os outros dependam dele. Não gosta de responsabilidades e as evita tanto quanto possível. Mesmo em seus casos amorosos, ele não quer se comprometer. Então, quando um caso atinge o auge, ele desiste. As pessoas Lycopodium muitas vezes estão atrasadas para se casar. Mas uma vez que ele se compromete, ele aceita toda a responsabilidade devido ao seu forte senso de dever. Lycopodium costuma ser uma pessoa grata. Se alguém fez algo por ele, certamente se lembrará e retribuirá o favor quando surgir a oportunidade. É muito afetado pela gratidão, bem como pela ingratidão dos outros. Sob o exterior irritável, ele é uma pessoa sensível e pode chorar enquanto assiste a cenas sentimentais, tanto de alegria quanto de tristeza. Lycopodium pode ser apressado. Os pacientes fazem as coisas rapidamente, mas não necessariamente de maneira ordenada. Essa natureza apressada poderia ser explicada com base na falta de autoconfiança. Porque eles estão ansiosos para terminar o trabalho, eles se apressam para executar a tarefa. Durante a entrevista clínica e, principalmente, durante o acompanhamento, ficam muito impacientes e querem ir embora rapidamente. Essa pressa e ansiedade, juntamente com a fraqueza da memória, é responsável por muitos erros, especialmente na fala e na escrita. A fraqueza de memória é especialmente para nomes próprios, mas também se estende a datas, eventos e outras coisas que eles têm que fazer. Para Lycopodium, ele só será amado se conseguir algo em sua vida. Senão, não será amado. Portanto, ele deve alcançar para ser amado. Deve atingir um objetivo e isso é muito difícil. Lycopodium é o filho de um pai que exige realizações, a esposa de um marido que exige realizações. Assim, ele tem a ansiedade antecipatória, a falta de confiança e o “medo de não conseguir chegar ao seu destino”. De um lado tem o amor pelo poder, ambição, egoísmo e do outro a atitude dominadora. Ao procurar uma esposa, ele pode sentir que uma mulher não o amaria a menos que ele fosse um empreendedor. Assim, constantemente enfatiza que está realizando, que é um realizador.

Comparações:
Os outros remédios com os quais o Lycopodium deve ser comparado são Aurum, Staphisagria, Nux vomica, Chelidonium, Phosphoric acidum, Platinum, Medorrhinum, China, Argentum nitricum, Bryonia, Lachesis.
Sendo um remédio do reino vegetal, o Lycopodium é muito sensível e sentimental. Também é imaginativo e intelectual. Pode facilmente fazer abstrações e teorizar. Ele pode generalizar e fazer uma teoria olhando para muitos fatos. Lycopodium é o remédio mais sifilítico do ciclo Calcarea, Lycopodium e Sulphur, sendo todos os três remédios essencialmente psóricos.

Físico:
Narinas dilatadas. Flatulência. Rachaduras no calcanhar. Apresentam sinais de senilidade precoce, como cabelos grisalhos, calvície, aumento da próstata, etc.Há desejo por alimentos e bebidas quentes e por doces. Pressa em comer e beber. Efeitos nocivos de comer demais.

Rubricas:
· Confiança, falta de si mesmo.
· Egoísmo.
· Sentimental.
· Covardia.
· Medo, gente, de.
· Desprezível, duro com os subordinados e amável, agradável com os superiores ou pessoas que deve temer.
· Ditatorial, falando com ar de mando.
· Ditatorial, poder, amor, de.
· Medo, de ser sozinho.
· Medo, empreender qualquer coisa.
· Come Depressa,.
· Timidez, aparecendo em público, mas capaz.
· Chorando, quando agradeceu,.
· Chora com ingratidão em. Kent
· Tosse, inclinando a cabeça para trás.
· Tosse seca em meninos emaciados.
· Narinas dilatadas.
· Apetite: comer aumenta a fome.
· Deseja comida quente.
· Axila: furúnculos recorrentes.
· Extremidades: rachaduras no calcanhar. Phatak
· Agravantes presença de Estranhos.

Lycopodium clavatum

(Licopódio)

Autor: Sr Nilo Cairo

Obra:  Guia de Medicina Homeopática

Sinonímia:
Lycopodium, Museus ursinus, Pés leoninus, Museus clavatus e Museus esquamosus vulgaris. Pertence às Lycopodiacese.
Pessoas de inteligência viva e penetrante e de fraco desenvolvimento muscular. Remédio dos artríticos. Velhos e crianças; gente seca e irritadiça. Encanecimento precoce. Pré-senilidade. Três principais características dominam os sintomas deste grande remédio: flatulência intestinal, areias avermelhadas na urina e agravação’ das 16 ás 20 horas. Dores nos rins. Dispepsia ácida e muito flatulenta, com bom apetite, mas pronta saciedade come alguns bocados e sente-se logo repleto. Cardialgia, acidez e azia. Prisão de ventre. Extremidades frias. Ventre inchado, com borborigmo; constante fermentação. Sempre com muito sono depois do jantar. Intolerância pelas bebidas frias; quer tudo quente. Figado preguiçoso; velhas congestões hepáticas. Diz o DR. A. POPE, que Lycopodium é mais útil do que qualquer outro remédio para as antigas moléstias do fígado; e que poucos medicamentos são tão eficazes como este na tísica pulmonar, quando usado com perseverança. Cirrose atrófica do fígado, com ascite e hidropsias. Icterícia. Hérnia inguinal. Enterite infantil por alimentos que não pode digerir (TESTE). A criança só tolera o leite materno. Catarro seco do nariz, com entupimento à noite, Cistite crônica. Aneurisma. Veias varicosas. Acne. Secura da vagina. Fisometria (ruidosa emissão de gases pela vagina). Ardor interno durante e depois do coito. Impotência dos velhos e de onanistas. Males que passam da direita para a esquerda garganta, peito, ventre, ovários. Amenorréia provocada por susto. Cefaléia quando come depois da hora. Amigdalite; difteria. Reumatismo dos músculos da faringe, dificultando a deglutição. Movimento incessante das asas do nariz, bronquite, broncopneumonia, pneumonia, asma, difteria, todas as moléstias do peito. Bronquite crônica, com expectoração purulenta. Pneumonia mal cuidada e retardada, que não quer acabar, sobretudo quando se teme a tuberculose. Pneumonia crônica. Transpiração viscosa e de mau cheiro. Tem uma notável influência reguladora sobre as glândulas sebáceas. É um bom remédio da alopecia sifilítica e do intertrigo das crianças. Hemeralopia. Canície precoce.

Ponto de Weihe:
Linha paraesternal, 2.° espaço intercostal, lado direito.

Complementares:
lod., Lachesis e Puls.

Remédios que lhe seguem bem:
Anac., Bell., Bryo., Carbo veg., Colchic., Dulcam., Graphit., Hyosc., Kali carb., Lachesis, Led., Nux, Phosph., Puls., Stram., Sep., Silicea, Therid. e Veraí.

Inimigos:
Depois de Sulphur, com exceção no ciclo: Sulph., Calc., Lycop. e Coffea.

Antídotos:
Acon., Camph., Caust., Chamam., Graph. e Pulsai.

Duração:
40 a 50 dias.

Dose:
30.ª à 200.ª 500.ª 1.000.ª e 10.000ª.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar Artigos
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Buscar por Autor

Veja mais Artigos