Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Início » Stramonium

Stramonium

Casali

Stramonium

Autores: V. W.D.Casali, F. M.C.Andrade, E. S.M.Duarte

Livro:  Acologia de Altas Diluições

A preparação básica é feita com a planta Datura stramonium, “erva do diabo”, “figueira brava”,“erva dos magos”, “zabumba”, família Solanaceae, muito tóxica, sedativa, alucinógena (principalmente as sementes).

Contém os alcaloides:
Atropina, hiosciamina, escopolamina.

Palavra chave:
Sistema nervoso, espasmos, fobias, ilusões, violência. Manias nos animais.

Tropismo Homeopático:
Sistema nervoso (central, vegetativo), nervo vago.

Patogenesia
Sinais Funcionais:
Congestão cerebral com: excitação mental e tendência a alucinar visualmente, tendência ao delírio violento e de terror, espasmos (principalmente na garganta e no sistema respiratório), com convulsões e excitação mental, dor nos quadris, erupções.

Sinais de Exaltação
Sensações: 
Membros separados do corpo, olhos salientes, partes do corpo inchadas, secura na garganta, objetos pequenos parecem grandes, gosto de palha em todos alimentos, estar abandonado, algo de mal vai acontecer, língua dura como couro, vento sair dos ouvidos, ouvir alguém gritando e lhe acusando, animais no corpo, frialdade geral no corpo. Ilusões de: sua identidade, após acordar tudo está novo e as pessoas ao redor nunca foram vistas, objetos são todos pretos, figuras de bestas surgem do chão, está sendo cortado ao meio, cão lhe atacar, falar com mortos, está só no deserto, fantasmas, ser muito alto ou muito grande (e as pessoas são pequenas), ser mordido por rato, cachorro, gato, cobra ou inseto.

Sinais Comportamentais:
Ao ouvir o barulho da água corrente fica com ansiedade. Cospe nas pessoas e sai correndo. Fala de modo violento/frenético. Toca nos genitais com frequência. Pratica exibicionismo erótico. Arranca as roupas. Range dentes. Arregala os olhos. Olhar fixo. Mania de religiosidade ou de rezar com desespero pela salvação. Riso violento com expressão forte no rosto. Comportamento infantil e inconveniente. Delírio de fugir. Delírio furioso, delírio religioso, canta hinos de louvor. Encantado e fora de si. Pratica movimentos giratórios. Medroso de animais selvagens ou de cães negros. Não reconhece seus familiares. Blasfema ofendendo os santos e as divindades.
Canta em linguagem obscena. Melancolia religiosa. Comportase como: indiscreto, caluniador, perverso, doce, louco, raivoso, selvagem,agitado, violento, insensível a dor, ressentido, temeroso, choroso, tristonho, loquaz, prolixo, risonho, mal humorado, acusador.

Sinais Subconscientes:
Medo de: morte,cachorro, espelho, escuro, perder a razão, barulho de água.

Sinais Mentais:
Pensa que está morrendo eque não verá o dia. Pensa que está sozinho.Pensa que tem todas doenças incuráveis. Concentração difícil. Pensamentos tristes. Pensamentos sobre a morte. Pensa e fala de modo incoerente.

Sinais Físicos:
Convulsões à noite. Pupila dilatada. Secreção nasal fétida. Perdas da visão. Pescoço rígido, dolorido. Face vermelha e quente ou face pálida. Incontinência urinária. Erupções vermelhas. Vômitos verdes, biliosos.Coreia nas extremidades. Tremores. Flatulência e abdome inchado. Cefaleia. Palidez ao redor da boca. Não tem descanso em nenhum lugar. Fala com dificuldade, esforça-se ao começar a falar e demora a emitir sons. Vertigem com cefaleias congestivas. Hipertermia. Boca seca.Sede violenta. Dores fortes no quadril esquerdo. Diarreia preta.

Sinais Gerais:
Anda cambaleando. Expressão de terror. Baba de saliva densa. Aversão a água. Gagueja. Movimentos de mastigação. Gritos enquanto dorme. Insônia. Movimentos desordenados.

Generalidades 
Agrava: 
No escuro, enquanto só, ao ver objetos brilhantes e cintilantes, após o sono, ao deglutir.

Melhora: 
Com luminosidade, com companhia, com calor.

Perfil (Criança):
Tem personalidade exótica destacando o medo de: espelho, barulho água corrente, escuro, cachorro. Fala de monstros, de animais saindo da terra, de religiosidade.
Pratica: deboches, acusações, palavrões, desrespeito, violência, perversidade, delírios. À noite acorda e: diz absurdos, fala de visões do inferno e de espíritos, fala em outros idiomas, conversa com espíritos, grita muito alto, chora alto, diz que não sente dores.

Indicações
Quadros Comuns:
A) Congestão Cerebral com Delírio (5 a 12CH). Excitação mental (com muita imaginação), rosto vermelho, midríase, loquacidade,corpo agitado, medo de local escuro, medo de água/solidão, tendência à violência e aos espasmos. Delírio furioso (com gritos), com ofensas/blasfêmias, tendência a bater/morder. Delírio erótico com atos, gestos e palavras. Delírio pavoroso com alucinações visuais (vê monstros, sombras, animais) que tenta agarrar ou afugentar ou fugir deles.
Os sintomas pioram quando:
1) vê objetos brilhantes e luzes,
2) na escuridão,
3) vendo ou ouvindo água correndo,
4) à noite ou ao acordar de manhã. Geralmente está furioso, com olhos brilhantes/ destacados. Fala incessante e sem coerência, alterna riso, cantoria, gritos e falas, tem constrição na faringe, movimentos desordenados (principalmente dos braços e mãos ou da cabeça). Hipertermia. Pode ter convulsões.
B) Congestão Cerebral com medo (9 a 30CH). Nervosismo, medo de escuro, medo de solidão, medo de túneis, necessita de luz acesa e companhia ao dormir. À noite
fica aterrorizado. Geralmente tem:
– Medo de cachorro e de água.
– Irritabilidade, mau humor, malvadeza, falação, range dentes.
– Dor de cabeça (com congestão) que lateja (estando ao sol).
– Durante o terror noturno tem: olhares fixos, alucinações, não reconhece as pessoas mas se agarra nelas.
C) Congestão Cerebral com Perturbações Violentas e Localizadas
– Mãos: movimenta os dedos continuamente, torce os dedos.
– Membros: faz movimentações giratórias e em várias direções repetitivas ou não.
– Rosto: com tiques e contrações irregulares dos músculos da face.
– Olhos: contrações provocando estrabismo ou diplopia.
– Faringe/esôfago: contrai impedindo engolir.
– Laringe/brônquios: sufocação.
– Convulsões: com rosto corado, com midríase, com consciência.
– Delírio, terror, mania furiosa, alucinações, fala incoerente, medo de escuro, medo de ficar só, mania religiosa, epilepsia, pouca dor.
– Perturbações provocadas por: estados congestivos, medos e supressões (exantema, secreções, excreção).
D) Distúrbios Diversos 5 a 12CH:
Quadros de infecção aguda com: febre alta, congestão do rosto, tendência a espasmos (principalmente na faringe), não sente dores, corpo agitado (acordando ou dormindo), garganta seca (tem sede e aversão a líquido), oliguria, medo de solidão / escuridão. Geralmente o quadro começa com frialdade no corpo (principalmente pés/mãos), a febre mais alta é ao meio-dia aproximadamente. Convulsão com consciência mantida (principalmente à noite). Os olhos ficam muito abertos durante o delírio. Tem delírio e loquacidade. Na meningite, a dor de cabeça pulsa. Levanta a cabeça repentinamente (estando deitado), com vômitos. Quando o sistema digestório é afetado faz vômitos verdes e diarreias pretas (mau cheiro). Exigências extravagantes, cuidados tolos, conversa sem sentido (fala muito). Ninfomania antes do ciclo menstrual, mania, metrorragia, tonteiras nos locais escuros, gagueira, estrabismo, hidrofobia.
9 a 12CH: Dor de cabeça congestiva e latejante provocada pelo calor (ou luz do sol acompanhada de midríase em pessoas nervosas). Excitação sexual com excitação cerebral e loquacidade antes e após o ciclo menstrual.
9 a 30CH: Delírio religioso ou acusador, tendência à melancolia religiosa/orações, com crise de loquacidade.

Quadros Animais:
Acetonemia nervosa. Ninfomania. Maldade animal. Irritabilidade extrema. Manias. Convulsões. Animal que repete movimentos giratórios. 12D, 30D, 30CH, 60CH.

Atenção:
Delírio com terror, mania furiosa, extravagâncias e violência, pouca dor.

Homeopatias Sucessoras:
Aconitum napellus, Belladona, Bryonia, Cuprum, Hyoscyamus, Nux vomica.

Homeopatia Incompatível:
Coffea.

Antídotos:
Aceticum acidum, Belladona, Hyoscyamus, Nux vomica, Opium, Pulsatilla,Tabacum.

Dinamizações:
3 a 30CH, 60CH, 100C, 200C,500C, 1000C, 10000C

Outras Denominações:
Datura stramonium,Datura lurida, Solanum maniacum, Stramonium foetidum, Stramonium majus albus, Stramonium spinosum.

Proximidades:
Hyoscyamus, Belladona.

Stramonium

Autor: Sr Phatak 

Obra:  Matéria Médica Concisa

Generalidades:
Espinheiro ou Datura despende sua força de ação sobre o cérebro, produzindo acentuada e persistente desordem da faculdade mental; alucinações; noções fixas, delírios aterrorizantes, etc. Portanto, é um remédio de terrores; mas em seu efeito comum não causa dor real. As secreções são suprimidas, não passa urina nem fezes. Garganta, pele e nervos espinhais também são afetados. Aumenta a mobilidade dos músculos de expressão e de locomoção; os movimentos podem ser graciosos, rítmicos ou desordenados, da cabeça e dos braços. Tremor dos membros. Parkinsonismo. Tremores; nervoso. Convulsões, espasmos pior à noite; após a masturbação. Paralisia de um lado, convulsões do outro lado ou paralisia unilateral; com contração. Coréia, epilepsia; de susto. Histeria, choro, riso, com excitação sexual. Catalepsia, membros podem ser movidos por outros. Espasmos tônicos e clônicos alternadamente. Neurite traumática. Paralisia geral dos loucos. Efeitos nocivos de choque, susto; sol; parto; supressões. Hidrofobia. Delírios quanto ao tamanho e à distância. Sensação como se os membros estivessem separados do corpo.

Piora:
Objetos brilhantes; (espelho, superfície da água). Susto. Depois de dormir. Escuro.
Dias nublados. Engolir. Supressões. Intemperança. Tocar.

Melhora:
Luz. Companhia, Calor.

Mente:
Acorda apavorado, não conhece ninguém, grita de susto, agarra-se a quem está perto (criança). Medo da escuridão, e tem horror de objetos brilhantes. 
Orando, cantando, devotamente; implorando; suplicante; conversa incessante. Alucinações temerosas que aterrorizam o paciente; vê fantasmas, fantasmas vividamente brilhantes ou hediondos, animais; pulando de lado do chão ou correndo para ele. Descontroladamente animado; como nos terrores noturnos. Faz todo tipo de coisas malucas. Delírio variável ativo; delirium tremens. Raving mania; com suor frio. Loucura religiosa. A conversa dos outros é intolerável. Autoacusação. Perda da razão ou da fala. Idéias estranhas e absurdas pensa-se alto, duplo, deitado transversalmente, metade do corpo cortado etc. 
Deseja companhia; tímido, se esconde ou tenta fugir. Fala em língua estrangeira. Ri à noite, chora durante o dia. Orgulhoso, exaltação altiva e alegre. Conversa lasciva. Membros separados do corpo como se. Medo e ansiedade ao ouvir a água correr. Aversão a todos os fluidos. Maníaco, xinga, rasga as roupas com os dentes. Discurso violento. Expõe a pessoa. Estúpido; imbecil. Senta-se em silêncio, olhos no chão, mexendo em suas roupas. Quer matar pessoas ou a si mesmo. Ansiedade ao passar por um túnel. Estados exaltados alternando com melancolia estabelecida. Tudo, todo mundo parece novo. A esposa acha que o marido a está negligenciando, o homem acha que sua esposa é infiel. Ansiedade ao passar por um túnel. Estados exaltados alternando com melancolia estabelecida. Tudo, todo mundo parece novo. A esposa acha que o marido a está negligenciando, o homem acha que sua esposa é infiel. Ansiedade ao passar por um túnel. Estados exaltados alternando com melancolia estabelecida. Tudo, todo mundo parece novo. A esposa acha que o marido a está negligenciando, o homem acha que sua esposa é infiel.

Cabeça:
Vertigem pior andando no escuro ou com os olhos fechados. Ergue a cabeça do travesseiro e a deixa cair novamente; durante a inconsciência; delírio; febre puerperal, etc. Dor de cabeça com tendência a falar incoerentemente. 
Cabeça inclinada para trás; na vertigem, apoia a cabeça com as mãos ao curvar-se ou levantar-se; depois da insolação. Meningite; de secreção auricular suprimida. Dor de cabeça do sol.

Olhos:
Fixo, brilhante, fixo, bem aberto. Estrabismo. Meio aberto no sono. Diplopia. Lacrimação; com dor de cabeça, febre, otalgia. Cegueira noturna. Visão verde. Alucinações em que tudo parece confuso. Todos os objetos parecem pretos; torto, pequeno, grande, estrabismo; em afecções cerebrais, durante convulsões, pior terror, medo. Visão escureceu. Pupilas dilatadas.

Ouvidos:
Sensação como se o ar saísse do ouvido. Surdez. Alucinações da audição.

Nariz:
Alae nasi branco.

Face:
Vermelho, inchado, quente. Expressão mudando rapidamente; agora corado, agora pálido; um sorriso sardônico; então expressão de terror. Testa enrugada; carrancudo; em doenças cerebrais. Acha o rosto alongado. Lábios; seco, colado. Movimento de mastigação. Dentinho.

Boca:
Pontos vermelhos finos na língua. Língua; seco, ressecado, inchado; fica para fora da boca. Tem gosto amargo; à comida. Gaguejando. Afasia. Constantemente cospe saliva. Gotejamento de saliva viscosa. Ranger dos dentes.

Garganta:
Seco com muita sede; ainda teme a água, ela o sufoca. Movimento para cima e para baixo da laringe como na deglutição. Como se água fervente subindo. Engolir; difícil; apressado.

Estômago:
A comida tem gosto de palha. Vômito de substância esverdeada. Grande desejo por ácidos; suco de limão melhor. Soluço obstinado.

Abdome:
Diarréia pútrida, escura, indolor e involuntária, com estrabismo e face pálida. Cólera infantil. Fezes suprimidas.

Urinário:
Supressão de urina; esp. durante a febre tifóide, bexiga vazia. Perda da potência da bexiga em idosos; a corrente flui lentamente, não pode se apressar. Rigor durante a micção.

Macho:
Paixão sexual exaltada; com palavras e ações indecentes. Mãos constantemente mantidas nos órgãos genitais.

Fêmea:
Ninfomania; conversa obscena; canta canções obscenas. Menstruação excessiva, precedida por excitação sexual. Loquacidade e canto, durante a menstruação. A menstruação tem um cheiro forte como o do sêmen. Puerperal; convulsões, mania; com sintomas mentais e sudorese profusa. Mãos constantemente mantidas nos órgãos genitais. Soluços e gemidos, após a menstruação. Fluxo menstrual excessivo.

Respiratório:
Inspiração lenta, expiração rápida. Tosse espasmódica; de bêbados; gritando. Voz rouca e rouca; de repente falha em tons mais altos. Espasmos, espasmos da laringe. Asma nervosa. Tosse pior olhando para luz, fogo ou objetos brilhantes. Tosse com espasmos nos membros inferiores, ao sentar.

Coração:
Fraco; pulso irregular. Afecções cardíacas, com constrições no peito e sintomas mentais.

Pescoço e costas:
Pescoço rígido, não pode dobrá-lo para trás. Desenho de dor nas costas. Coluna sensível; a menor pressão causa protestos e delírios. Opistótono.

Extremidades:
Movimentos graciosos e rítmicos. Cruza as mãos sobre a cabeça. Mãos abrem e fecham. Torção de mãos. Marcha cambaleante. Perde o degrau da escada ao descer. Dor violenta no quadril. Tremor dos membros. Interior da coxa direita vermelho e inchado. Abscesso na articulação do quadril esquerdo, com dor violenta. Hemiplegia, com convulsões em partes não paralisadas. Calcanhares dormentes, às vezes doloridos.

Dormir:
Comatoso. Chorando em sonhos. Acorda com medo ou gritando Deita-se de costas com as coxas e os joelhos flexionados. Insone na escuridão. Sonhos assustadores. Risos, gritos começam durante o sono.

Febre:
Suor profusa que não alivia. Febre violenta. Suor frio; durante os espasmos.

Pele:
Rastejando como muitos insetos(mosquitos). Não aparecimento de exantemas.
Fluxo vermelho brilhante. Abscessos crônicos, fístulas. Manchas vermelhas ardentes na pele. Abscessos e tumores com dor intensa. Queimaduras e escaldaduras.

Relacionado:
Sino; Hyos; Ópio

Stramonium

Autor: Rajan Sankaran

Obra: Texto baseado no livro The Soul of remedies de Rajan Sankaran. O Texto está diferente do original mas as idéias foram mantidas

Informações gerais:
Stramonium é um remédio vegetal.

Miasma:
Pertence ao miasma agudo.

Sensação:
É um remédio que tende a ser prescrito em excesso porque lida com um dos medos mais básicos do homem, a sensação de ser deixado sozinho no deserto. O paciente Stramonium sente-se impotente, como uma criança deixada sozinha, e há uma impressão de perigo. Ele se sente abandonado, deixado em um lugar terrível – sozinho no deserto.

Mental/Emocional:
Diante da súbita percepção dessa situação aterrorizante (sozinho no deserto), seu cérebro se recusa a funcionar: ele não consegue reconhecer quem está ao seu redor, apenas se agarra a quem ou o que está ali (“Criança acorda apavorada, não conhece ninguém, grita, se agarra a quem está próximo”; “Agarrado a pessoas, móveis”). Parece não conhecer ninguém ou reconhecer qualquer coisa ao seu redor. Está numa situação de terror (“Coisas familiares parecem estranhas”). Se sente sozinho, perdido e tenta fugir dessa situação. Está sem apoio e clama por ajuda, implorando, suplicando, orando em seu pânico. Tudo o que ele quer é estar em um lugar seguro e protegido. Stramonium tem “Medo, da escuridão” e “Desejo, de luz”. A escuridão representa incerteza, desesperança e qualquer situação desse tipo é muito assustadora para o paciente Stramonium. Na escuridão, existe a possibilidade de perigo e Stramonium tem um “desejo de sol, luz e sociedade”.
Stramonium tem delírios de cachorros atacando-o, mordendo seu peito: uma situação aterrorizante. Para o paciente Stramonium todos os eventos, situações e até pessoas parecem cachorros (“Delírio, cachorros, vê”), como se fossem atacar. Há uma sensação de estar ferido (“Ilusão, lesão, está prestes a receber”), como se as coisas ao seu redor fossem prejudiciais. O paciente dirá ao médico: “Doutor, tomei seu remédio na semana passada e desde então meu estômago ficou muito embrulhado, não sei dizer quanto!” Ele fica mais assustado quando as coisas estão escuras e sombrias. Quando não há perigo, escuridão ou melancolia, a pessoa Stramonium pode estar falando, rindo, cantando, cheia de vida, dançando (“Negro e sombrio, aversão a tudo que é”, “Chorando a noite toda, rindo o dia todo”).
Fala muito de si mesmo, gaba-se de ser ousado, de não ter medo de nada (“Delírio, alto, ele é”, “Delírio, distinto, ele é”, “Delírio, divino, ele é”). Mas com a noite vem o terror e o apego. Ao mesmo tempo, quando há luz, há um medo de ser exposto, de ser vulnerável a ataques, e então há um desejo de escuridão. Mas quando os pacientes estão incertos sobre algo, eles querem luz – medo do desconhecido. Stramonium tem a rubrica: “Destrutividade das roupas, nu, quer ser”. Nada deve ficar escondido sob as roupas, nada deve ficar no escuro. Também há “Ilusão, nu, ele está”: desprotegido, ele se sente sem a cobertura protetora das roupas, vulnerável ao ataque. Em seu terror e susto, ele reage descontroladamente: “destrutividade”, “selvageria”, “violencia”, “golpe”. Toda a sua situação, incluindo suas doenças, o assustam tanto que ele não quer que isso volte à tona. Ele quer acabar com isso, erradicá-lo, destruí-lo, exterminá-lo (“Delírio, que ele é o diabo”, “Delírio, demônios, vê”, “Matar, desejo de”). Seus problemas o incomodam e o assustam e ele quer acabar com eles.
Outra rubrica é “Afeições religiosas, Bíblia quer ler o dia todo”. Ele precisa de um livro de autoridade no qual confie e ao qual se apegue constantemente para evitar a incerteza e a escuridão que sente ao seu redor. Ele se sente como uma criança sem apoio e tem ansiedade pela salvação. Ele dirá: “Doutor, onde quer que você vá, por favor, não fique fora por mais de uma semana, senão estarei perdido. Se algo acontecer, para onde posso ir?” Ansiedade sobre a salvação como se eles tivessem perdido seu apoio. A pessoa de quem eles dependem iria embora e eles seriam deixados sozinhos no deserto, abandonados. Outra rubrica é “Ilusão, a esposa é infiel”. Existe o medo de que a pessoa com quem ele compartilha um relacionamento de confiança (a base de sua segurança) vá embora, deixando-o sozinho, indefeso, no escuro. Essa relação de confiança não precisa ser apenas com o cônjuge, pode ser com o médico, com seu guru, etc. Entre os concomitantes de Stramonium, encontra-se um desejo ou uma aversão à cor preto.

Rubricas:
• Delírio, está sozinho no deserto.
• Agarra-se, criança acorda apavorada, não conhece ninguém, apega-se a quem está próximo.
• Delírio, os animais saltam do chão.
• Ilusão, de objetos e pessoas negras.
• Delírios, cachorros o atacam, de morder o peito.
• Delírio, que ela está sempre sozinha.
• Ilusão, animais assustadores.
• Ilusão, vê demônios.
• Delírio, está sendo ferido.
• Delírio, vê cetros, fantasmas, espíritos, ao fechar os olhos.
• Delírio, coisas familiares parecem estranhas.
• Escapar, tenta.
• Matar, desejar.
• Medo, no escuro.
• Medo, de ser ferido.
• Saudade do sol, da luz e da sociedade.
• Chorando, chora a noite toda e ri o dia todo.
• Companhia, desejo de, sozinho, enquanto, agrava.
• Implorando, suplicando.
• Noites de oração.
• Afeições religiosas, Bíblia quer ler o dia todo.
• Desamparo, sensação de.
• Preto e sombrio, aversão a tudo o que é.
• Delírio, nu, ele é. Kent
• Fala: gaguejando, esforça-se muito antes de conseguir pronunciar uma palavra. Phatak
• Loucura religiosa.
• Gritando por socorro (observação minha).
• Estranhos, presença de, agravantes.

Stramonium (Estramônio)

Autor: Sr Nilo Cairo

Obra:  Guia de Medicina Homeopática

Sinonímia:
Datara lurida, Datura stramonium, Solanum maniacum, Stramonium foetidúm, S. majus albus e S. spino-sum. Pertence às Solanaceae. (1) Uso empírico. Delírio que vai até aos acessos de loucura furiosa. A principal indicação deste medicamento é o delírio, especialmente com terror e nos jovens. Mania furiosa, com alucinações aterradoras; paciente muito falador; fala em tolices, tem toda a sorte de caprichos extravagantes; tem medo de estar só e no escuro. Escrúpulos ridículos. Mania religiosa. Especialmente útil nas complicações cerebrais da epilepsia. Ninfomania antes das regras; mania das mulheres grávidas; mania puerperal. Metrorragia com loquacidade e canto. Vertigem no escuro. Medo da água, corno Hidrophobinum. Gagueira. Estrabismo Todos os movimentes vivos, violentos e espasmódicos. Pesadelo das crianças. Coreia. Hidrofobia. Ere-tismo sexual. Vômitos, assim que levanta a cabeça do travesseiro. Pouca dor é a característica dos casos de Stramomum. Efeitos da supressão da erupção na escarlatina, delírio, etc.

Ponto de Weihe:
No meio do bordo posterior do músculo esternoclidomastóideo direito.

Remédios que lhe seguem bem:
Aconit., Bellad., Bryon., Cupr., Hyosc. e Nux.

Inimigos:
Coffea.

Antídotos:
Acet. acid., Bellad., Hyosc., Nux, Opium, Pulsat. e Tabac.

Dose:
3.ª à 30.ª 60.ª 100.% 200.ª 500.ª 1.000.a e 10.000.a

 

logo-naturoergos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar Artigos
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Buscar por Autor

Veja mais Artigos